terça-feira, 26 de setembro de 2017

Odds fixas

Uma das motivações para vir para Estocolmo foi a casual coincidência da minha agenda de trabalho com a do John Legend. Estava entusiasmadíssima com esta perspectiva há mais de dois meses, entretanto esmoreci, por motivos que agora não vêm ao caso, o que resultou num jejum rigoroso a John Legend e kizombas em geral. Voltei a animar, mas não voltei a consumir os ditos produtos, por isso não sei bem como reagirei amanhã no concerto. Há uns dez dias tinha a certeza que ia chorar baba e ranho, hoje parece-me que vou lá estar aos pulos e saltos a cantar todas as músicas. 
Portanto, façamos as nossas apostas:
Maria Calíope chora por ouvir a All of Me: 1,50
Maria Calíope não chora por ouvir a All of Me: 1,40
Maria Calíope chora por ouvir outra música qualquer: 2,20
Maria Calíope sobe ao palco para cantar a P.D.A: 12,00

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Boas pessoas

Julgo que o cerne das pessoas só vem ao de cima em situações pseudo-extremas. No rame-rame quotidiano ou quando tudo corre de feição somos todos boas pessoas, até os psicopatas. O pior é quando o quotidiano tem uma lomba ou um desvio e de repente há aquele interruptor que activa a pessoa real, com instintos primários e tudo o que vier associado. Muitas vezes a máscara da normalidade cai e as pessoas transformam-se. Continuo a achar que é nesse tipo de situação pseudo-extrema ou, vá, não programada que as pessoas mostram do que são feitas.
Cada vez me surpreendo mais com as pessoas, não necessariamente pela positiva. Cada vez há mais pessoas que me desiludem, que me entristessem e que me chocam com comportamentos completamente despropositados. Às vezes, apetece-me dizer que detesto pessoas... mas também não sou especialmente fã de animais nem plantas, por isso não me sobra muito a que me agarrar.
Enfim, também eu devo ser boa pessoa... até ver.

domingo, 24 de setembro de 2017

O Outono chegou



e trouxe com ele bichos-carpinteiros e um artigo meu publicado em Portugal.

Se não me falha a memória, uma première...
Em mainstream com certeza.

sábado, 23 de setembro de 2017

130X



Uma autêntica fórmula "abracadabra" em sueco.

(Com direito a Southampton - Manchester United e tudo!)

Estocolmo, às 19:50

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Adivinhem quem chegou?

O Outono!

Voltou a ser Outono! Folhas douradas! Cores quentes! Raios de sol de filigrana! Castanhas assadas (só no meu imaginário, que em Viena a castanha chega mais tarde...)! Sopa de abóbora! Tudo de abóbora a confortar-nos a alma! Este Outono vai fazer enrubescer todos os pálidos Outonos passados. Gosto tanto do Outono que nem acredito que ele tenha voltado a ser assim tão promissor.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

(Im)pontualidades

Chegara a um ponto em que percebeu com clareza que se enganara em todos os infinitos conjugáveis.

Conjugar infinitos apenas cabe numa cabeça que pense em português. Uma língua que nos brinda com este privilégio teria de ser motivo de júbilo. Nas outras, o nosso infinito pessoal desdobra-se e confunde-se entre indicativos, conjuntivos e condicionais. Sobretudo condicionais...

A clareza tardara, mas chegou e os infinitos desvaneceram-se. Eu larguei os verbos e passei para os substantivos. Comecei a decliná-los com hora marcada e tempo contado.

(Se tivéssemos declinações em português talvez as nossas linhas de pensamento fossem mais sistemáticas).


Estocolmo, às 02:03

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Batom vermelho

Já seria uma novidade, mas batom vermelho "whisper me wishes" antes das 8 da manhã mostra que o novo paradigma está em curso e que não há volta a dar!

Fixe também seria um cursinho de maquiagem... Não vá eu mudar de paradigma e ir com cara de palhaça!

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Mudança de paradigma

Há 21 anos soube que tinha entrado na faculdade, não foi no 1º curso da minha lista, mas no 2º, que estava nessa posição porque a minha mãe me convencera que seria melhor... Apesar de não estar nada radiante com esse passo, fui comemorar o feito com dois furos na cartilagem de uma orelha. Hoje essa variante que eu desdenhei paga-me as contas e os vícios.

21 anos volvidos, deixei a minha primeira opção de exercício físico por força das circunstâncias, como expliquei ali abaixo, mas lancei-me a um novo desafio que dá pelo nome carinhoso de BBP (Bauch-Bein-Po) que é como quem diz barriga-perna-rabo.

Vamos ver se a mudança é positiva.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Caiu o véu




O meu curso de dança do ventre foi cancelado...


Estou com certeza diante de uma viragem de paradigma da minha vida. Faço dança do ventre há uns 8 anos e agora de repente o curso foi cancelado. Fiquei estupefacta. Não sei o que fazer às segundas. O que estará aí por vir?

domingo, 17 de setembro de 2017

Quando for grande

quero escrever assim como o Impontual...

(vá lá ler, querido leitor, que é tão bonito e está tão bem tricotado numa imagem tão poderosa que só me apetece lamber afagar as palavras. Todas. Uma a uma.).

Se não der, pelo menos que consiga envelhecer com essa elegância!

No ar

Realmente mesmo dentro dos baixos há sempre m altinho! O meu voo foi cancelado e fui remarcada para outro voo 6 horas depois. Para o querido leitor que se calhar não tem presente o espaço aéreo europeu, é uma hora de voo entre Frankfurt e Viena e eu tenho a ideia que há voos de hora a hora. Eu lá reclamei - inicialmente estava num voo para o dia seguinte - mas resolvi tirar proveito da situação. Consegui que me remarcassem novamente para um voo uma hora mais cedo e um voucher de refeição - que é obrigatório - mas se eu não tivesse pedido insistentemente não teria recebido. Fui para um restaurante, almocei e aproveitei para ir despachando trabalho. À hora do meu voo lá embarquei e fiquei toda contente quando vi uma amiga minha aqui de Viena, que estava também na conferência, mas o cómico da viagem foi quando começaram distribuir as porcariazitas que eles chamam de snacks e eu bater os olhos no meu ex-namorado austríaco. Foi tão cómico! Fiquei a observá-lo. Realmente já se passaram uns 20 anos e não acho que a idade e a passagem do tempo o tenham favorecido. Engordou, perdeu cabelo e parece um homem completamente desinteressante. Em tempos (há 17 anos para ser precisa) eu achava que este era o homem da minha vida e agora ao vê-lo ali a girar ora para um lado ora para o outro a dizer "Süss oder salziges, sweet or salty" nem sei explicar porquê.
Quando ele me viu, lançou um "Mas tu estás com um óptimo aspecto!" e eu se fosse uma pessoa educada teria retribuído o elogio, mas como não gosto de mentir, especialmente em casos flagrantes, apenas concordei com um "pois". Ainda estivemos um pouco à conversa e foi óptimo revê-lo.
No entanto fiquei a pensar nas voltas que a vida dá. Foi este indivíduo que me fez querer vir para a Áustria e nem que seja só
por isso estar-lhe-ei eternamente grata.